Lore Vieira

Lore Vieira

Uma millenial, expert na frase: Mais vinho por favor!

As surpresas escondidas no Porto – Desvende a Casa Ramos Pinto!

Olá, precisamos falar sobre a Casa Ramos Pinto!

Mas primeiro, preciso te explicar algumas coisas e contextualizar a experiência para que você possa entender como uma visita de 40 minutos pode te marcar pelo resto da vida. E não, isso não é uma #publi, simplesmente uma experiência marcante.

Já sabemos da fama do Porto em Portugal, por seus vinhos de características pungentes e belíssimos por-dos-sois, mas como um viajante, que programou uma passada rápida em Porto pode de fato, experimentar o que a terra oferece?

Posso te afirmar que sim, é possível realizar essa ‘prova’ de maneira eficiente e ter um dos dias mais memoráveis que se pode registrar durante uma viagem dessa.

Ao chegar em Porto, não se assuste com a quantidade de turistas, preste atenção ao seu redor – os prédios antigos, as ruas em ladeiras e as igrejas que se apresentam belíssimas a cada esquina.

Isso mesmo, uma simples caminhada de 10 minutos pode te levar aos lugares mais incríveis sem precisar gastar um tostão. A comida conta com dois fatores EXTREMAMENTE IMPORTANTES: O preço justo e a qualidade dos sabores.

Ok, porém, como posso ter minha experiência com o vinho do Porto tendo 24 horas no local?

Como vou recomendar MINHA própria experiência a qual realizei duas vezes – isso mesmo, sou fã de carteirinha da Ramos Pinto – irei sugerir o que achei mais adequado para garantir tranquilidade no programa.

Porém, por que a Ramos Pinto? Sendo que a área que contêm as casas de vinho, possui inúmeros locais belíssimos para a prova.

Por que Adriano Ramos Pinto? Esse português de 21 anos, se apaixonou perdidamente pelo Brasil, quando ainda era tudo mato, e inovou na época, levando a produção de seus vinhos para o território brasileiro, quando o restante só pensava em exportar pra Europa. Senta que lá vem história:

Aos 21 anos, Adriano Ramos Pinto tinha um sonho e uma garrafa de Vinho do Porto, sendo inovador quando nem existiam os termos “Empreendedorismo, Coach, seja você seu próprio chefe e blá blá blá” decidiu que seria uma excelente ideia trazer os vinhos do Porto para as terras tupiniquins mesmo sendo o Vinho, uma bebida para os mais abastados.

Adriano era um artista, literalmente, antes de iniciar suas aventuras além-mar, ele era um artista – e foi assim, que ele sempre focou em duas coisas para seu negócio: Qualidade dos vinhos e Marketing.

Foi assim, que com muito esforço e derrapadas no caminho, Adriano conseguiu não só exportar vinhos de qualidade, mas também conceito e brand.

E que branding meus amigos, os cartazes de marketing eram belíssimos e vinham quebrando todos os paradigmas artísticos da época, Adriano e seus ilustradores, brincavam com o divino e o sagrado, se utilizavam de fíguras gregas mitológicas e traziam o vinho como o pecado original.

A Casa sempre se reinventou, e mesmo alguns concorrentes sempre focarem nos homens no século XX como os principais consumidores de bebidas alcóolicas na época, Adriano propôs que as mulheres recebessem mimos como bolsas, porta maquiagens, kit de viagens para bolsa e etc.

Ele trouxe o conceito de recebidos antes mesmo de ser vinculado na internet como hoje. #Pioneiro.

Mas, como todo artista, acredito que Adriano tenha se sentido um pouco estressado em lidar com os números cada vez que a companhia crescia e expandia. Por isso mesmo, entra em cena seu irmão que foi seu parceiro de negócios por muitos anos.

Se interessou? Pois é, quando visita a casa na margem do rio Douro, consegue entender essa história e já fica impactado como inúmeros detalhes que foram adicionados e que compõe o grande sucesso da casa que existe a mais de 140 anos.

Agora minha sugestão de roteiro:

Café da Manhã/ Brunch:

Se vai começar seu dia já em Porto, sugiro que tome um café da manhã nas inúmeras cafeterias do centro, em frente a estação de Metrô São Bento.

Existem vários, e eu particularmente gosto de sentar-se e observar o corre – corre do dia-a-dia do povo, tomando meu cafezinho em paz.

Dessa vez experimentei a Traveller, food & Drink Journey. Os brunch são variados e o cappuccino estava incrivelmente delicioso.

Os garçons são uns amores e a comida bem servida. Paguei em torno de 15 euros e comi um English Breakfast PERFEIÇÃO!

Digo que coma um brunch, porque a casa Ramos Pinto só abre para visitas as 14:00 nos finais de semana e as 10:00 durante a semana.

 


Brunch na cafeteria The traveler
Brunch na cafeteria The traveler

Trajeto:

Logo após seu brunch existem várias opções para atravessar o rio e ir para Vila Nova de Gaia, isso será explicado durante a visita, mas basicamente tem se que atravessar o Rio para acessar as caves, e quando atravessa, já não está mais no Porto, e sim, na outra cidade chamada Vila Nova de Gaia, mas não pira não que é um pulo. Na verdade, uma Ponte de um lado para o outro.

A pé:

Se está se deslocando a pé, e assim como eu, gosta de bater perna quando viaja, o trajeto é possível e prazeroso.

No total são 18-23 minutos de caminhada, e no meio, irá passar por inúmeros pontos turísticos em Porto e nem vai ver que já caminhou esses minutinhos.

No trajeto a pé conta-se com a possibilidade de atravessar a Ponte D.Luis I, que te garante um visual incrível sobre o Rio Douro e ambas as costas.

Caso se perca, basta perguntar onde fica a ponte, e com certeza, se encontrará rapidamente. Não tem erro!

Transporte aplicativo/Taxi:

Quando estive pela segunda vez, pedimos um UBER, nesse trajeto, o motorista deve pegar a segunda ponte, pois D. Luis I, não aceita o trânsito de carros de aplicativos.

Isso te dará a oportunidade de visualizar a cidade de Porto e Gaia por fora dos centros turísticos, se tiver tempo e sem paciência, é uma opção.

Ele te deixará literalmente na rua de trás na Casa Ramos Pinto.

De carro, o trajeto leva 17 minutos, porque se dá uma volta maior. Custa em torno de 10-12 Euros.

Transporte público:

Essa opção também vale muito a pena. Sendo em torno de 18 minutos, você só precisa entrar na estação que se encontra em frente a cafeteria que recomendei e lá pegar a linha amarela D – Santo Ovídio, esse trem faz um percurso chiquérrimo atravessando a ponte, e não importa de onde está, consegue ter aquele visual lindo que Porto oferece.

O trem para na estação Jardim do Morro e é aqui nosso próximo ponto.

Jardim do Morro é um local que vamos retomar ao final desse post, isso porque é um bar literalmente em cima do morro que garante o pôr do sol mais bonito de Portugal.

Mas faz parte do roteiro para mais tarde, e já te conto como maximizar sua experiência a partir de lá.

Vocês estão sentados? Pois saiba que deste local, você tem um bondinho que sobe e desce de 1 em 1 minuto do Jardim do Morro, para as Casas de Vinho do Porto, e te deixa literalmente NA PORTA da Ramos Pinto.

Ok, o valor é EUR 7 por adulto, mas vale muito a pena descer e depois subir porque é extremamente lindo e te dá um visual inexplicável

 

Vista Interna no Bondinho para a Costa de Porto
Vista Interna no Bondinho para a Costa de Porto

Ingressos:

Ok, se seguir estes passos, estará na Porta da Ramos Pinto em torno das 13:00, aconselho ir e comprar seu ticket em paz, pois sempre existem pessoas que compram faltando poucos minutos antes das 14:00 e mais um detalhe, as visitas são em línguas diferentes: Inglês, Francês, Espanhol e Português.

Então ao chegar o recepcionista te dirá quando é a próxima visita na língua desejada.

Os intervalos são de 20 minutos entre cada uma, por isso, não se desespere, se tiver um tempo extra, basta esperar na área de bares e restaurantes localizados na frente do teleférico ou andar na feirinha que costuma sempre estar por lá.

O valor do Ingresso é de 19 Euros por pessoa, e ao final, o visitante tem direito a uma prova de 3 vinhos Reserva do Porto já incluídas: Branco meio seco, um Tawny e um Ruby. ( Você sai tonto)!

Além disso, pode optar por adicionar uma experiência mais abrangente de Wine tasting com eles, que sempre ocorre ao final, podendo ser, à la carte e Flights de Vinhos do Porto, Portos e Chocolates e Vinhos do Douro.

Pode escolher e comprar provas no Centro de Visitantes – balcão da recepção – até às 17h00 que fica localizado no interior da casa.

Eles não aceitam reserva, por isso, tente ir no começo da tarde para garantir a experiência tranquila.

Tour:

A tour leva em torno de 40 minutos, e passa voando, porque todos os elementos apresentados surpreendem o ouvinte a cada momento.

São tantos detalhes empregados na construção da marca, que eu considero melhor do que muitos eventos sobre “pseudo – empreendedorismo que já participei”.

A aula é dada aos ouvintes a partir das ideias que Adriano Ramos Pinto teve durante sua jornada, mostrando como ele sempre colocou o cliente em primeiro lugar e inovou ao pensar fora da caixa e dos padrões da época.

Como é um tour curto, não posso dar muitos spoilers, mas se você se interessa por negócios e gestão, sugiro imensamente que vá ter essa experiência.

Pós-tour:

Logo após a tour, e de ter sentado e saboreado os vinhos do Porto da Adriano Ramos Pinto, para os que querem ser econômicos, sente-se em algum dos charmosos restaurantes ao lado da Ramos Pinto e peça uma francesinha prato típico de Porto, e deguste tomando uma cerveja Super Bock, cerveja criada lá, bem gelada.

Se quiser uma experiência mais sofisticada, vá até o WOW- World of Wine que fica na rua de trás da Casa e é um complexo gigantesco com vários museus dedicados ao Vinho e Praça de alimentação para todos os gostos.

Além de lojinhas com livros e artigos incríveis que podem ser um souvenier diferente daqueles encontrados nas bancas ao redor.

Jardim do Morro

Pois bem, ao perceber que o sol prepara para se por, pode retornar e pegar o bondinho mais uma vez para subir até o Jardim do Morro e a ponte que se localiza em frente.

PESSOALMENTE, recomendo ficar até o entardecer para presenciar um dos pores do sol mais bonitos que já presenciei, é de cair o queixo, e pedir bebidas no bar em frente que é badalado.

Não se preocupe quanto á localização, a música envolvente do local te atrairá automaticamente.

Para retornar para Porto, caminhe pela ponte como tantas outras pessoas o fazem, apreciando os hóteis a beira do rio, a arquitetura colorida de Porto, os barcos que atravessam de um lado para o outro, a vida mais calma que Gaia entrega contrastando com a badalada Porto.

São separadas por uma ponte, mas são distintas quanto a energia que proporcionam.

Quando estiver caminhando inspirado pela história de Adriano Ramos Pinto e seus sócios, pode ser que encontre novas inspirações de vida, como eu.

Beijos, um bom vinho e uma boa viagem!

Compartilhe